Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias do CFF

Farmacêuticos realizaram cerca de 1,4 mil atendimentos no Bem Estar Global

Data: 01/05/2018

O uso seguro e racional de medicamentos, para o melhores resultados em saúde é um dos grandes desafios dos sistemas de saúde. É o que tem sido comprovado a cada participação dos farmacêuticos no Bem Estar Global, projeto da Rede Globo com o Serviço Social da Indústria (Sesi), apoiado pelo Conselho Federal de Farmácia. Na segunda edição, em Porto Velho (RO), no dia 20 de abril, foram realizados cerca de 1,4 mil atendimentos a 291 pessoas, sendo 807 exames/testes, 101 consultas e 156 sessões de auriculoterapia. Embora 72,5% pessoas atendidas tenham relatado diagnóstico prévio, ou seja, passaram pelo médico e receberam prescrição, muitas estavam com condição clínica descontrolada.

Entre as 281 pessoas que fizeram testes de glicemia capilar, 19% apresentaram resultados alterados. Alterações também foram observadas em 15% das 284 pessoas que mediram a pressão arterial, em 23% das 132 que realizaram testes de colesterol capilar, e em16% das 110 das que se fizeram avaliação da capacidade pulmonar pelo pico de fluxo. “São pacientes em risco, pois esse descontrole envolve doenças como asma, diabetes e hipertensão”, adverte Josélia Frade, coordenadora do projeto no Conselho Federal de Farmácia. O alerta se baseia em dados como os divulgados pela Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), segundo os quais a hipertensão provoca mais da metade das 300 mil mortes por doenças cardiovasculares verificadas anualmente no Brasil.

Outra constatação dos farmacêuticos durante o Bem Estar Global em Porto Velho foi a de que mesmo pessoas com um alto grau de instrução podem apresentar um baixo letramento em saúde. Apesar de compreender o risco iminente de um novo infarto, uma paciente de 62 anos não aderia ao tratamento para diabetes, hipertensão arterial e doença arterial coronariana, em uso de stent há 2 anos. Resistente ao tratamento, ela recusava-se a comprar os medicamentos. Usuária de insulina, armazenava e aplicava o medicamento de forma incorreta.

Foram identificadas, ainda, pessoas com grave comprometimento da sua saúde e qualidade de vida pelo abuso de medicamentos ou abandono de tratamento. Um homem de 53 anos, e histórico de dor crônica na coluna, apresentou os resultados alterados da medida da pressão arterial provavelmente decorrente do abuso de anti-inflamatórios. Uma mulher com asma, utilizava cinco jatos de broncodilatador de curta, duas vezes ao dia como tratamento contínuo da doença. Já uma mulher de 70 anos estava há dois anos sem usar os medicamentos para o hipotireoidismo, ela já registrava sintomas como queda de cabelo e colesterol e pressão arterial alterados.

Do total de pessoas atendidas, 25% precisaram ser encaminhadas. O acompanhamento será garantido pelo Centro de Saúde Maurício Bustani, pelo Hospital Santa Marcelina e por farmácias parceiras do CFF na ação. Um homem de 54 anos, com diabetes, hipertensão e relato de problema renal, estava com a pressão muito alta (225/104 mmHg), necessitou ser encaminhado ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Quatro foram acompanhadas até as tendas da Cardiologia, e da Reumatologia para a continuidade do cuidado. “Essa interação com as demais instituições participantes tem sido uma prática desde a primeira edição e demonstra o quanto é fundamental para o cuidado integral e o trabalho em equipe multiprofissional”, comenta Josélia Frade.

  

Durante a ação foram distribuídas 70 mudas de plantas medicinais, cultivadas e doadas pelo Hospital Santa Marcelina. Quem passou pela tenda, pode aprender a diferenciar plantas de boa qualidade e as impróprias para o consumo. As informações mereceram espaço no programa Bem Estar, transmitido ao vivo do local da ação. “Poucas pessoas sabem fazer essa distinção”, comenta o farmacêutico Nilton Luz Netto Júnior, que diz ter observado, também, o uso irracional e abusivo de chás. “Uma idosa afirmou que dissolvia comprimido de dipirona no chá de capim santo e tomava diariamente”, comenta Nilton Luz Netto Júnior, que, junto com seu colega Evanilson Gomes Pinto, do Hospital Santa Marcelina, repassou ao público as informações sobre formas de cultivo e cuidados com a escolha do local para o plantio das mudas distribuídas.

 

Uma das responsáveis pelo atendimento de auriculoterapia, a farmacêutica Mara Tambarucci tem mais de 25 anos de experiência na área, mas ainda se surpreende com as reações das pessoas submetidas à técnica. “Uma colega farmacêutica, que trabalhou na ação e fez uma sessão, me procurou para dizer que melhorou da enxaqueca sem usar nenhum medicamento. E que havia passado um dia de trabalho intenso, sem dor”, comentou, referindo-se a Patrícia Minosso, que confirmou o relato. “Tendo passado a manhã toda em pé, no calor, sem me alimentar direito, era para ter saído de lá com a cabeça estourando de dor”, contou ela. Patrícia Minosso ficou tão empolgada com os efeitos terapêuticos da auriculoterapia que já decidiu se especializar na área. “Quero continuar usando a técnica em mim mesma e para o benefício de outros pacientes.”

A satisfação da população e da equipe responsável pelos atendimentos fica como marca da edição de Porto Velho do Bem Estar Global, assim como as demonstrações de respeito e carinho da equipe da TV Globo. A coordenadora executiva do programa Bem Estar, Karina Dorigo, e o apresentador do Fernando Rocha, gravaram vídeos em que enaltecem o trabalho dos farmacêuticos na ação. Karina Dorigo elogiou a dedicação, o capricho e o respeito com o público. “É uma forma de mostrar a importância do farmacêutico na saúde pública brasileira. Espero que a gente continue fazendo um belo trabalho, em todas as capitais em que vamos estar esse ano”, comentou. Fernando Rocha agradeceu a parceria e disse que a intenção é valorizar cada vez mais o trabalho dos farmacêuticos. “Vocês são a ponta de lança de um trabalho muito bacana da saúde brasileira”, destacou.

Os bons resultados obtidos nas duas edições, de Salvador e Porto Velho garantiram a participação dos farmacêuticos na próxima edição, que será realizada no dia 11 de maio, das 8 às 13 horas, na Praça Cívica, em Goiânia (GO). O presidente do CFF, Walter da Silva Jorge João, assinala que a profissão farmacêutica passou por importantes transformações e o projeto Bem Estar Global tem sido uma vitrine para mostrar isso às pessoas. “Por meio do projeto, temos tido a oportunidade de estar em contato com a população e fazer com que ela conheça a nova face do trabalho farmacêutico”, destaca.

O presidente do CRF-RO, João Dias, destacou a honra que foi para a entidade e para os farmacêuticos rondonienses participar do projeto Bem Estar Global. "Por meio de diferentes serviços, conseguimos proporcionar melhoria na qualidade de vida de quase 300 pessoas que lotaram a Tenda da Farmácia. Foi muito graticante para nós disponibilizar consultas farmacêuticas, exames, auriculoterapia e fitoterapia, inclusive com distribuição de mudas de plantas medicinais", disse. 

A conselheira federal pelo estado de Rondônia, Lérida Vieria, ressaltou a importância do evento para a região, onde a população enfrenta dificuldade de acesso aos serviços básicos de saúde. Nos quatro consultórios farmacêuticos os pacientes puderam realizar testes e receber orientações dos profissionais e encaminhamentos aos médicos. “Muitos não tinham conhecimento dessa nossa atribuição e queriam saber o que era. Foi uma ação social muito bonita e importante para a população principalmente para os bairros que tem dificuldade de acesso aos serviços de saúde”.

 

Fonte: Comunicação do CFF

Fotos Relacionadas

TV CFF















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700