Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias do CFF

Maranhão apresenta Projeto Farmácia Viva ao plenário do CFF

Data: 30/01/2019

O Conselho Regional de Farmácia do Estado do Maranhão (CRF-MA) compartilhou uma experiência de sucesso com plantas medicinais e fitoterápicos com os conselheiros federais participantes da 478ª Reunião Plenária do Conselho Federal de Farmácia (CFF), realizada nesta quarta-feira (30/1), em Brasília. A farmacêutica diretora-secretária do CRF-MA, Kallyne Bezerra, apresentou o projeto estratégico Farmácia Viva, que ela coordena juntamente ao governo do Estado. “Quando chegamos a um município, o credenciamos, assina-se um termo de adesão, fazemos a formação dos profissionais de saúde, implantamos o horto e fazemos educação em saúde das comunidades”, explicou a coordenadora.

Ao todo, são 124 farmacêuticos envolvidos na implantação de hortos, que ocorre por meio de parcerias institucionais com secretarias municipais, universidades federais e estaduais, institutos federais e escolas de ensino médio. Os profissionais atuam para estimular o cultivo de plantas medicinais encontradas em cada região e promovem capacitações para a utilização de técnicas corretas de cultivo, manejo, coleta, secagem, manipulação e formas de uso. “Tudo começa assim: eles entregam para a gente uma terra feia e maltratada e transformamos nesses hortos de saúde viva", afirmou Kallyne.

A ideia é resgatar e fazer o intercâmbio de conhecimentos empíricos da população sobre o uso tradicional das ervas, enquanto se oferece qualificação técnica aos profissionais de saúde e demais envolvidos na produção e uso de plantas medicinais e fitoterápicas. Entre as ervas medicinais, o Horto Farmácia Viva catalogou e ensina a cultivar e utilizar Alface, Boldo, Cana da Índia, Capim Limão, Cravo de Defunto, Erva Cidreira, Hortelanzinho, Chanana, Mastruz, Santa Quitéria, Picão e Vick. “A alface, por exemplo, tanto trabalha o estresse como também faz dormir dez horas ininterruptas na forma de infusão”, revelou a farmacêutica.

Na maioria das comunidades onde o horto foi implantado, um grande número de pessoas acredita nas plantas medicinais utilizadas em forma de chás preparados de forma correta como opção para tratamentos de saúde como hipertensão, diabetes e outras patologias. Entre os apoiadores e participantes dessa prática saudável natural estão pastorais, médicos, farmacêuticos, nutricionistas, enfermeiros, terapeutas ocupacionais, igrejas, rotas quilombolas, terreiros, raizeiros e mateiros.

O conselheiro federal pelo Estado do Maranhão, Luís Marcelo Vieira Rosa, explicou que este trabalho segue protocolos de 50 anos de estudos que a professora Terezinha Rego realiza na Universidade Federal do Maranhão (UFM), de catalogação de plantas medicinais. “Quando a gente vai para dentro de um terreiro, é para levar conhecimento científico para aquilo que eles já praticam, mas que as vezes o fazem de forma desorientada e podem até prejudicar a saúde das pessoas”, ressaltou o conselheiro.

O projeto já assinou 180 termos de adesão para a implantação de hortos de Farmácia Viva em municípios de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e mobilizou mais de 10 mil pessoas, entre profissionais de saúde e comunidade em geral. O projeto é destaque entre as políticas públicas do Estado, foi tema de tese de doutorado e de congressos científicos, com participação em simpósios. Ao todo, foram capacitados 235 profissionais de saúde.

Fonte: Comunicação do CFF
Autor: Murilo Caldas

Fotos Relacionadas

TV CFF















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700