Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Santa Gemma - A Padroeira

 

SANTA GEMMA

Quinta filha de uma família de oito irmãos, Gemma Galgâni nasceu, a 12 de março de 1878, em Comigliano, um vilarejo próximo a Lucca, na Itália. O pai foi um próspero farmacêutico e sua mãe era, também, de origem nobre. Portanto, uma família católica tradicional.

Desde muito cedo, a menina ajudou o pai em seu trabalho de farmacêutico, e se comove, diante do sofrimento das pessoas. Aos oito anos de idade, Gemma perde a mãe e é enviada pelo pai a um semi-internato católico, em Lucca. Mais tarde, no colégio, ela reflete sobre sua vida e diz estar "no Paraíso". Apesar da pouca idade para a época, aos nove anos, é autorizada a receber a primeira comunhão.

Aos 19 anos, Gemma Galgâni perdeu o pai, vítima de sua generosidade e falta de escrúpulos de seus interlocutores nos negócios e sérios problemas com credores. Os filhos são deixados sem nada, o que torna difíceis as suas vidas.

Após esses acontecimentos, Gemma adoece. Teve meningite, que a deixou temporariamente surda. Desenvolveu uma curvatura na espinha e grandes abscessos se formaram em sua cabeça. Os seus cabelos caíram e a sua ruína física culminou com a paralisia dos membros. Várias tentativas foram empregadas para sua cura, porém sem sucesso.

VISÕES - Gemma torna-se devota de São Gabriel. Acamada pela doença, lê a história de sua vida. Um dia, praticamente em seu leito de morte, recebe uma novena como a única esperança de cura e, no dia 23 de fevereiro de 1899, à meia-noite, diz ver o anjo Gabriel aparecer à sua frente e lhe pedir para rezar com fé, todas as noites, ao Sagrado Coração de Jesus. O anjo diz-lhe, ainda, que, até o fim da novena, virá, diariamente à noite, para rezar com ela. Na primeira sexta-feira de março, a novena terminava e Gemma Galgâni estava completamente curada de sua doença.

Ela tinha, então, 20 anos e uma saúde perfeita. Desejava ser freira, mas isso não aconteceu, pois, segundo a própria, Deus tinha outros planos para ela. No dia oito de julho do mesmo ano (1899), após receber a comunhão, a Virgem Maria aparece a Gemma e lhe diz que seu Filho deseja lhe dar uma graça, segundo os historiadores. Ela volta para casa, reza e, entrando em êxtase, vê novamente a Virgem dizer: "Eu serei uma mãe para ti, e tu serás uma verdadeira filha". Dizem, ainda, os historiadores que, nesse momento, a Santíssima Virgem a cobre com o seu manto e ela vê Jesus Cristo.

Aos 21 anos, ela foi adotada por uma família italiana, os Giannini, com 11 filhos. Com eles, viveu por três anos e oito meses, ajudando nas tarefas da casa, mas ainda sobrava tempo para as orações e missas. Gemma assistia a duas missas e comungava uma vez por dia.

MORTE - Em 1902, Gemma se ofereceu a Deus como vítima pela salvação das almas e adoece, novamente. Testemunhas contam que ela expelia sangue com violentas palpitações. No dia 11 de abril de 1903, ela faleceu, em seu leito. Apesar da violência da doença, ainda, mantinha traços de sua beleza angelical e humildade.

PADROEIRA - As autoridades da Igreja começam a estudar a sua vida, em 1917, e, em 14 de maio de 1933, foi beatificada e finalmente canonizada, em 2 de março de 1940. Em 1945, os farmacêuticos de Botucatu, cidade do interior de São Paulo, elegem Santa Gemma Galgâni como padroeira dos farmacêuticos, passando a ser reconhecida, em todo o território nacional.

 

Vídeos

Vídeo
Dúvidas sobre medicamentos não tem hora, mas têm solução.












Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700